Brasil e Portugal estão em continentes diferentes, separados por um oceano. Mas os une a língua, a cultura, a burocracia, o “jeitinho”, a história. Por essas razões, brasileiros se sentem em casa mais depressa em Portugal. Essa é a razão principal para que, quando estão confrontados com a necessidade ou o desejo de mudar para outro país, a primeira opção seja pelo país irmão. Além disso, Portugal oferece uma qualidade de vida muito diferente do que no Brasil, formação acadêmica, oportunidades de emprego, saúde e passaporte europeu. Essas são as principais buscas para quem quer recomeçar a vida em Portugal.

A Bicalho conta com uma estrutura em Lisboa, integrada com as demais unidades, para fornecer suporte necessário aos clientes em questões imigratórias, tributárias e empresariais, além de fomentar o fluxo de negócios entre Brasil e Portugal.

ABERTURA DE EMPRESAS

A abertura de uma empresa em Portugal é um processo simples; contudo é muito importante a orientação adequada. O primeiro passo é escolher o nome da sua empresa, que poderá ser alterado depois. Em seguida, é preciso escolher em qual pacto social a empresa se enquadrará: se será uma atividade individual ou coletiva. Cada uma destas opções possuem categorias diferentes e são necessários documentos específicos. A Bicalho está apta para auxiliar os clientes em todas as etapas do processo de abertura de empresas em Portugal.

IMIGRAÇÃO E VISTO

Portugal está entre os países mais procurados por brasileiros que querem morar na Europa, seja pela ligação histórica que temos com o país ou até mesmo pelo facilidade do idioma. Para morar legalmente em Portugal, é preciso atender alguns requisitos.

Conheça abaixo os caminhos imigratórios mais comuns

INVESTIMENTOS E NEGÓCIOS

Devido ao amplo relacionamento com empresas, empresários, empreendedores e investidores, a Bicalho apresenta inúmeras oportunidades de negócios e investimentos para quem deseja explorar o mercado português.

VISTO D-2

O visto D2 tem o objetivo de fornecer autorização de residência a estrangeiros que queiram estabelecer atividade empresarial no país, tendo contrato ou proposta escrita de contrato de prestação de serviços de profissões liberais e possua habilitação para exercer atividade independente, se necessário.

VISTO D-7

Com o intuito de atrair aposentados e pessoas com rendimentos para o país, a legislação portuguesa prevê visto D7, para os cidadãos estrangeiros que pretendam residir em Portugal como aposentados ou viver de rendimentos próprios. Dentre os requisitos necessários para o êxito no requerimento destaca-se a comprovação de que o requerente possui os rendimentos mínimos previstos em lei que possibilitam a sua residência em Portugal, garantidos por período não inferior a 12 meses. O rendimento mínimo necessário varia de acordo com a quantidade de pessoas que compõem o núcleo familiar do requerente, a ser contabilizado nos seguintes termos:

A. Primeiro adulto (requerente): 100% do salário mínimo vigente (€ 557) = € 6.684 /ano;
B. Segundo adulto: 50% do salário mínimo vigente (€ 279,5) = € 3.342/ano;
C. Cada criança e jovens com idade inferior a 18 anos e maiores a cargo do requerente: 30% do salário mínimo vigente (€ 167,1) = € 2.005,2/ano.

VISTO GOLD

O Visto Gold pode ser requerido por cidadãos de qualquer nacionalidade não-europeia, desde que preencha um ou mais requisitos abaixo:


 Abrir empresa em Portugal:
Para os investidores que não tem interesse em adquirir imóveis, uma opção é abrir uma empresa que crie pelo menos 10 empregos direitos com contrato. Não é exigido um valor mínimo de investimento.

  Aplicação Financeira: Investimento de pelo menos 1 milhão de euros no mercado financeiro.

  Investir em pequenas e médias empresas: Investimentos em fundos específicos destinados à capitalização de pequenas e médias empresas, passa a ser elegível com investimentos a partir de 500 mil euros.

  Investigação científica: Investimento de pelo menos 350 mil euros em investigação científica.

  Produção artística, preservação ou conservação do patrimônio cultural: Investimento de 250 mil euros em produção artística e preservação ou conservação do patrimônio cultural.

REGRAS GERAIS DO GOLDEN VISA PORTUGAL

• Qualquer uma destas opções acima, pressupõe um período mínimo de 5 anos.
• O Golden Visa é atribuído para um período de 1 ano e depois renovado por 2 períodos sucessivos de 2 anos. Depois desse período é atribuído nacionalidade portuguesa.
• Permanência anual de no mínimo de 7 dias em Portugal.
• Em todos os casos, o valor a ser investido não pode ser financiado.

 EQUIPE MULTIDISCIPLINAR E ALTAMENTE QUALIFICADA

 SOLUÇÕES INTEGRADAS E INTERDISCIPLINARES

 SERVIÇOS CUSTOMIZADOS

 ATENDIMENTO PERSONALIZADO

CONHECIMENTO E EXPERIÊNCIA PARA ATUAR NO DESENVOLVIMENTO E EXPANSÃO DOS NEGÓCIOS.